Campanha de conscientização mobiliza moradores de favelas contra o coronavírus

Cartazes são espalhados por comércios de diversos bairros da periferia para prevenir a infecção e disseminação do vírus Covid19

Por Wallace Morais

Cartazes informam métodos de prevenção contra vírus Covid19 / Foto: Wallace Morais

Controlar o contágio da população pelo novo coronavírus é um desafio que está mobilizando os esforços dos governos federal, estadual e municipal, além da mídia, instituições religiosas e personalidades. Porém, pouco é disseminado sobre a questão da contaminação do Covid19 nas periferias. A mobilização feita até então ainda não inclui os espaços periféricos e deixa boa parte da população favelada desacreditada ou desconhecendo os perigos que o novo coronavírus pode trazer para nossa população.
Por isso, coletivos de comunicação, ativistas, líderes sociais e comunicadores estão se mobilizando pra levar informações verídicas aos moradores das comunidades. Através das redes sociais, canais de comunicação, aplicativos de mensagem e na atuação de campo, informam a população sobre os cuidados para evitar a infecção e proliferação do Novo Coronavírus.

Entre as frentes da ação, estão a confecção de memes, imagens de divulgação pela internet através das redes sociais de métodos de isolamento e prevenção do vírus e a colagem de cartazes em comércios e ruas das favelas, com recomendações dos órgãos de saúde para controle da circulação em lojas, mercados, padarias e pequenas vendas, evitando a contaminação.

Cartaz com orientações de prevenção para comerciantes e clientes na favela da Vila Prudente / Foto: Reprodução facebook/André Silva

Com grande parte da população ainda descrente ou nas adotando medidas de prevenção ao Novo Coronavírus, a comunicação comunitária serve como ferramentas de enfrentamento a disseminação da doença. A favela, sempre excluída de oportunidades e serviços essenciais à vida, mais uma vez não é representada nas ações e campanhas de conscientização dos veículos de comunicação de massa.

O isolamento social, difundido com veemência por artistas e famosos, ainda é obstáculos nas comunidades formadas pela classe trabalhadora que não tem o poder de opção da quarentena. Enfrenta todos os dias a rotina do trabalho e os riscos da proliferação do vírus em sua comunidade e casa. Para atenuar esse quadro, a sensibilização de métodos de prevenção pode evitar uma tragédia, que seria a chegada do vírus as periferias.

Com cartazes, a população recebe informações de como deve acontecer o distanciamento social, as orientações de prevenção em espaços públicos e a condutas após a saída do isolamento. Por sua vez, os comerciantes locais, que não podem recorrer ao isolamento e necessitam de seus negócios para sobrevivência, também recebem orientações de como manter o atendimento à clientes sem se expor e expô-los ao contágio.

Cartaz de conscientização de comerciantes e clientes sobre a prevenção ao coronavírus / Arte: Wallace Morais

Aos poucos a mudança nas rotinas passa a ser perceptível. Em alguns comércios já existe o controle de clientes, o distanciamento social, em aproximadamente 1 metro de distancia, além da mudança no atendimento, a troca da venda presencial pela por aplicativos ou entrega domiciliar.

Estas e outras ações são importantes para contenção da disseminação do novo coronavírus nas favelas e comunidades de periferia. Moradores precisam se conscientizar e comunicadores informar seus pares da importância de prevenção como forma de segurança da vida do povo de nossas favelas.

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *