Gerando Falcões potencializa jovem da Favela

Igor, da Vila Prudente, superou adversidades e hoje inspira novos dançarinos a seguirem apesar de todas as dificuldades os seus sonhos

Cesar Gouveia

Do beco, da viela ou daquele lugar conhecido como Coroado o Igão como é conhecido na quebrada leva entre muitas experiências de vida a força para os mais de 20 alunos que ele cuida hoje com oficina de hip-hop. Nascido e criado na comunidade Igor Lima, 20, preserva com unhas e dentes o objetivo de um dia poder viver de dançar. Atualmente, seus passos e ginga inspira dezenas de outros pequenos moradores a mandar ver.

Igor ensina break com Palloma. / Beatriz Inoue

Desde 2012 na labuta ele foi contra todas as estatísticas e os ‘nãos’ que a vida o colocou à sua frente para hoje poder viver dignamente como homem e dançar pelo mundo afora. De origem humilde, Igor conseguiu por meio da dança ir contra as drogas, como ele mesmo diz: “sendo forte dia após dia”.

Atualmente professor para muitos jovens da Favela. Igor tem atuado como voluntário também nas oficinas de dança de rua do Gerando Falcões – Vila Prudente, ONG que iniciou os trabalhos na região em 2018. A professora da atividade em que Igor faz parte, Palloma Kissyla, 22, conta como acredita no potencial educativo do Igor.

“Ele tem muita coisa pra mostrar para as crianças, a gente sabe o que faz para ajudar cada um, incentivando as crianças a dançar, mostrando que tudo que é bom e pode dar certo. Ele tem um futuro grande pela frente”, disse Palloma.

Para ele, o melhor e mais importante do trabalho de compartilhar experiências e vivências é que ele não ensina somente a dançar. “Eu também ensino disciplina, que tem que trabalhar e estudar, respeitando o pai e mãe”, disse e complementa com um recado aos mais novos “sempre tenham fé e coragem para dançar hip-hop! O mundo é difícil, mas não podemos desistir”.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *