painel de controle e impacto
Quer acompanhar o desempenho do Vozes e demais parceiros sociais na luta contra a Covid-19?
Clique no link e confira nossos resultados em tempo real!
Postado por Beatriz Nagai
18/11/2020

Reflexão e luta por igualdade e respeito

20 de Novembro, Dia Nacional da Consciência Negra
O Brasil é um país miscigenado e repleto de cultura e costumes trazidos de diversas partes do mundo, é possível vermos principalmente a influência da cultura africana em nosso dia a dia, seja na música, culinária, religião, entre outras coisas. Embora todo esse multiculturalismo seja admirável, é importante que a origem dessa diversidade não seja esquecida, pois antes de chegarmos aos dias atuais, houve muita luta, violência contra a população negra e desigualdade racial.

Para isso, em janeiro de 2003 foi criada a Lei nº 10.639, que institui 20 de novembro como o Dia da Consciência Negra, data para reflexão e conscientização sobre a relevância do povo preto como parte essencial no desenvolvimento da cultura brasileira. Também foi através dessa lei que foi estabelecido o ensino da história e cultura afrobrasileira e africana nas escolas.

Por que dia 20 de novembro?

A data da comemoração não foi por acaso, a escolha é referente ao dia da morte de Zumbi, líder do Quilombo dos Palmares, um refúgio para muitos escravos no século XVII e que se localizava onde hoje temos os estados de Alagoas e Pernambuco. Zumbi dos Palmares, como é mais conhecido, lutou por anos contra a escravidão no Brasil e se tornou um dos maiores símbolos da resistência negra, sendo lembrado até os dias de hoje e homenageado com a escolha da data.
Comemorações
Novembro inteiro é marcado como o Mês da Consciência Negra, pois durante todo o período ocorrem palestras, rodas de conversa e festivais. Nos últimos anos, diversos eventos como a Marcha da Consciência Negra, a FlinkSampa - Festa do Conhecimento, Literatura e Cultura Negra e shows de artistas como Rincon Sapiência e Paula Lima aconteceram em São Paulo.
Em 2020, por causa da quarentena, o feriado foi antecipado para maio, mas as comemorações das conquistas e conscientização sobre a luta antirracista e contra a desigualdade permanecem em novembro.

Confira abaixo alguns dos eventos da Virada da Consciência deste ano:

Seminário Internacional da Consciência Negra
O que é: Rodas de conversa, palestras e painéis sobre o tema
Data: 18, 19 e 20/11/2020

Blacktekfest
O que é: Feira sobre tecnologia, inclusão digital e afroempreendedorismo
Data: 18, 19 e 20/11/2020

Troféu Raça Negra
O que é: Homenagem à personalidades atuantes na luta antirracista
Data: 19/11/2020

8ª FlinkSampa
O que é: Evento de literatura e cultura negra em São Paulo
Data: 19 e 20/11/2020

Acesse AQUI o site da Virada da Consciência 2020 para ver o restante da programação.



Compartilhe nosso conteúdo!
notícias relacionadas
Mikaelly, 16 anos
Mikaelly, 16 anos, é aluna de qualificação do Vozes das Periferias. Em 2019, se formou no curso de Arquitetura e foi convidada, junto com outros 3 colegas de classe, a criar o projeto de reforma do nosso escritório. O espaço passou por uma grande mudança e hoje conseguimos utilizar muito melhor nossas salas.A jovem também realizou outros cursos da área de tecnologia e comunicação, e seu crescimento está sendo muito maior do que o esperado."O Vozes é uma escada para as realizações do meu sonho. Lá eu aprendi que para você vencer tem que ter, acima de tudo, garra".Mika também é voluntária de operações gerais e nos auxilia em nossas atividades de esporte, cultura e qualificação profissional. Sem dúvidas, essa jovem sonhadora ainda vai conquistar o mundo.
Luiz Alberto, 20 anos
Luiz foi aluno do curso de Gestão de Projetos, em parceria com a Comparex, em 2018. A dedicação do jovem durante as aulas o fez estar entre os melhores, concorrendo por uma vaga de emprego na empresa apoiadora."Participar deste curso foi um divisor de águas em minha vida profissional e pessoal, porque lá eu e meus colegas aprendemos muito mais do que as práticas de gestão de projetos, nós aprendemos valores que levaremos para a vida como o #TamoJunto e o #VaiKida".Hoje, Luiz trabalha na SoftwareONE, antiga Comparex, onde cresce a cada dia junto com profissionais qualificados e trilha a sua carreira. Sem dúvidas, essa oportunidade mudou a vida do jovem e abriu diversas portas, transformando sua história e a de sua família.
Kelvin, 8 anos, e Kelveson, 11
Os irmãos Kelvin, 8 anos, e Kelveson, 11, são alunos da oficina de Dança de Rua do Vozes das Periferias e dão um show de talentos.Os b-boys fazem da arte a força para superar qualquer dificuldade e só abaixam a cabeça se for um passo da dança. Eles se dedicam a aprender e a serem melhores a cada dia, desde o hip hip até o passinho do funk. Os meninos ainda se apresentam em locais como a Av. Paulista e estações do metrô, mostrando que a favela é potência e cultura de rua pode chegar onde quiser.
Kayrone, 15 anos
Kayrone, 15 anos, é aluna da oficina de Jiu Jitsu do Vozes das Periferias e voluntária do projeto auxiliando os mais novos durante a aula. Desde o início se mostrou muito interessada e pró-ativa, querendo aprender sempre mais. A princípio seu objetivo era usar o esporte como uma forma de autodefesa, já que os casos de violência contra mulher estão cada vez maiores. Mas com o tempo foi se encantando e trazendo o Jiu Jitsu para vida."O que eu mais gosto no jiu é que independente da sua faixa ou tempo de treino todos se ajudam e crescem juntos".Hoje, Kayrone treina na Academia Nova União SP Mooca, onde ganhou uma bolsa graças a ponta feita pelo atleta e professor Erick Silva.Sua força e garra representa a classe feminina das favelas. Voe alto!